Blog posts

Forte de Santa Teresa: lindeza escondida no Uruguai

Forte de Santa Teresa: lindeza escondida no Uruguai

Punta del Diablo, Uruguai

Juro que eu pesquisei bastante na internet antes de ir e me desanimei: a quantidade de informações desencontradas é absurda! Me deu até vontade de desistir de ir (era uma segunda e de acordo com alguns sites estaria fechado). Mas eu fui ao Forte de Santa Teresa e volto com infos quentinhas e todos os detalhes pra você ir sem medo. Follow me!

Forte de Santa Teresa
As vezes eu modelo por aí… não dessa vez, é claro!

Onde fica o Forte de Santa Teresa?

Fica pertinho de Punta del Diablo, na costa norte do Uruguai. Punta del Diablo é uma praia que você precisa ir – sim, esqueça a del Este ostentação e estique até aqui, valerá a pena.

Pra coroar um mochilão de pura praia, um pouquinho de cultura não faz mal a ninguém, certo? O Forte de Santa Teresa começou como português (viu, essa você não sabia!) e logo depois foi dominado pelos espanhóis. A construção original é de 1762 e foi toda reformada em 1927 e agora abriga um museu simples, que conta um pouco da história do lugar.

Forte de Santa Teresa

O que eu achei mais bacana é que é uma surpresa: o forte fica dentro de um parque nacional super arborizado, cheio de campings e praias (tá aí um povo que adora acampar!) e achar essa construção ali, toda reformada e bem cuidada, parece que você foi teletransportado pra outro lugar em uma outra época.

E o melhor? É um programa baratinho! 🙂

Forte de Santa Teresa
Olha que beleza de lugar <3

Ah, já demos dicas de onde se hospedar 😉

Como chegar no Forte de Santa Teresa?

Eu fui meio ~estupidinha~ e fiz do jeito mais caro (e só depois descobri o mais barato). Então conto os dois e você decide qual o melhor pra você, beleza?

De bicicleta

Aluguei uma bicicleta em Punta del Diablo com a missão de pedalar o dia todo: são 10 kilômetros de ida, incluindo umas partes em areia, até o Forte. Dá pra ir pela Ruta 9 também, mas aí perde o parque, o que eu não aconselho.

Forte de Santa Teresa
A bicicleta e o medo de fazer merda pra tirar a foto! (Alguém tem dúvida que eu tava andando?)

O aluguel da bici saiu 300 pesos uruguaios (menos de R$40) e era pelo dia inteiro.

Café da manhã ogramente tomado, comprei umas besteirinhas no mercado, enchi a garrafa de água e bora. Mas o solzão na cabeça me destruiu e parei várias vezes.

Fiz o caminho indo pela Capatacía, uma delícia pra andar de bicicleta, e parei na Pajarera e no mini zoológico – não que eu curta, mas precisava esfriar um pouco.

Forte de Santa Teresa
Pra vocês terem ideia dos caminhos (mas o mapa nem é tão bom!)

Acho que umas duas horas depois cheguei no Forte (sim, parei pra caramba). E a visita lá é bem bacaninha, dá pra “perder” uma hora lá dentro, fácil. Tem diversas áreas pra se visitar e não é muito cheio, mesmo em alta temporada.

Na volta, aproveitei pra ir pela praia e aproveitei para me refrescar na Playa Grande.

Mas se você tiver preguiça, ou quiser economizar, eu recomendo o próximo tópico.

Já viu o nosso post BARATEZA sobre o Uruguai? Confira todos os gastos e detalhes pra gastar POUCO!

De ônibus

Todos os ônibus que vão em direção a Chuy passam pelo Parque, é só pedir pro motorista de deixar na entrada do Forte de Santa Teresa (não desça na do parque, que é bem antes) e vai te custar bem pouquinho, cerca de 50 pesos. A caminhada até o forte é ridicula, nem 5 minutos.

Forte de Santa Teresa
Dentro do parque, cada caminho uma surpresa!

Para mais fotos: Instagram @omelhormesdoano e use a nossa hashtag #omelhormesdoano para aparecer todo sábado na nossa galeria

Pra voltar, é só pegar na Ruta 9 de novo. E se tiver no pique, volte a pé pelo parque, é uma caminhada gostosa, isso se não tiver muito calor.

Lógico que a carona é o mais barato e é bastante fácil conseguir, na Ruta 9, é só sorrir e subir o dedão 🙂

Quanto custa a entrada?

Barateza! A entrada ao Forte custa 30 pesos uruguaios (um pouco menos de 4 reais).

Forte de Santa Teresa
Dentro do Forte

Quando ir?

O Forte de Santa Teresa está aberto todos os dias (sim, se você ler em algum outro lugar algo diferente, deve estar desatualizado porque eu procurei tanto essa info quando fui =/ ) das 9 às 17 horas.

Forte de Santa Teresa
Cuide de você e da bicicleta – Seguro Viagem é importantíssimo!

Use os nossos parceiros para viajar tranquilo e ajudar o OMMDA:

BookingReservando com esse link aqui da Booking, você não pagará nada a mais por isso e nos ajuda (e muito) a manter o blog!

Anonymous-aiga-first-aid-bg-300px A Real Seguros é um comparador de Seguros Viagens e com o nosso link você já ganha 15% de desconto em qualquer compra!


Eu adorei o lugar e recomendo muito! O passeio pelo parque é bem bacana e, no final, valeu a pena alugar a bicicleta porque o passeio foi completo: bicicleta, o parque Santa Teresa de ponta a ponta e lavar a alma – e o suor – na praia. Precisa de mais o que? Uma cerveja, porfis.

Foi lá ou planeja um passeio ao Forte de Santa Teresa e ao Parque Nacional? Conta pra gente 😉 

About the author

Viciada em viajar, mas que sossegou – só um pouco – no Chile pra abrir um hostel. Já esteve em 9 países e 90 cidades fora do Brasil. Não sabe nadar (mas sabe andar de bicicleta). É facilmente comprável com doces e bom café. E é mão de vaca (isso é um dado importante).

12 Comments

  1. Roberta Martins
    2 de Março de 2016 at 17:26
    Reply

    Que bom que gostou Camila, eu tenho um texto antigo com o título um dos meus lugares preferidos e conta as experiências acampadas aí. Eu levava a bike no carro e era o meu meio de transporte por até uma semana.

    E lembro de um momento perfeito quando teve um festival de música latina dentro do forte, a acústica é ótima.

    Só acho que pertence a Rocha e não é Punta del Diablo.

    • Camila Lisboa
      2 de Março de 2016 at 17:38

      Oi Roberta! Que legal que o post te fez relembrar de coisas boas 🙂 Vou navegar lá pelo Territórios e buscar esse post que vc citou!

      E sim, pertence a Rocha, que é o Departamento que Punta del Diablo pertence também e a cidade a qual o forte pertence é Castillos. Acabei só citando Punta del Diablo porque foi a base que eu usei pra ir pro parque.

      Um beijo e obrigada pelo comentário!

  2. Luan
    26 de julho de 2016 at 09:48
    Reply

    Show de bola o post, Camila!
    A combinação de parque, bike, forte e praia parece incrível.
    Para quem mora pertinho, no RS, é só um pulo até ali. Já estou planejando minha escapada!
    Obrigado!

    • Camila Lisboa
      1 de agosto de 2016 at 18:27

      Eu adorei esse passeio! Um lugar lindão e cheio de história 🙂 pode ir que não tem erro! 😉

  3. Beatriz Vieira Freire
    20 de Fevereiro de 2017 at 15:10
    Reply

    Obrigada pelo texto!!! planejei de me hospedar em punta del diablo e queria andar o parque de bike, mas até agora não tinha muitas informações sobre como seria isso!! super ansiosa agora 🙂

    • Camila Lisboa
      21 de Fevereiro de 2017 at 18:48

      Que bom que ajudou 🙂 Fico mó feliz com esses comentários! =D

  4. elisa campos
    2 de Abril de 2017 at 13:42
    Reply

    Camila, estou indo semana que vem para lá. Planejei ficar dois dias em Punta del Diablo e um dia em Santa Teresa. Pq depois vou para Cabo Polonio e La Pedrera. Pelo visto você gostou mais de ir de bike mesmo, né? Pensei em alugar a bike e sair muito cedo para tentar pegar o parque abrindo… Vc indica algum lugar para hospedar em Punta del Diablo?

    • Camila Lisboa
      11 de Abril de 2017 at 16:38

      Eu fiquei no El Diablo Tranquilo 😉 tomara que dê tempo pra pegar essa dica! Tava viajando e não respondi os comentários =/

      E da bicicleta… é bem tranquilo sim!

  5. angela sant anna
    15 de Abril de 2017 at 23:42
    Reply

    que lugar legal, passei reto nesse -_- O Uruguai tem tanta coisa legal né e são muito hospitaleiros! quero ver se na próxima visito Punta del Diablo!

    • Camila Lisboa
      20 de Abril de 2017 at 12:19

      Preciso voltar! Duas semanas não foi NADA =/

  6. Marcelo
    19 de novembro de 2017 at 13:56
    Reply

    Obrigado pelas dicas. Pretendo em breve fazer uma viagem de moto até Uruguai, em quem sabe, chegar a Buenos Aires (se der…) e uma das coisas que já coloquei na cabeça são visitar dois fortes Históricos, Fuerte San Miguel e esse, de Santa Teresa, que datam aproximadamente do século XVIII.
    Tô colhendo relatos de pessoas que fizeram essa aventura, e em breve espero me juntar aos que “enfiaram a cara” e colocaram o pé na estrada (no meu caso, as rodas da moto!). Parabéns!!

    • Camila Lisboa
      21 de novembro de 2017 at 12:33

      Vai na fé, Marcelo! O Forte Santa Teresa e todo esse litoral do Uruguai são lindos… vc vai adorar 🙂

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *