Blog posts

Chachapoyas: um guia de por onde começar

Chachapoyas: um guia de por onde começar

Chachapoyas, Peru

Chachapoyas foi até agora a melhor surpresa da viagem. Cidade muito gracinha, bem tranquila, e uma região cheia de história e lugares lindíssimos. Valeu cada segundo e cada ‘centimo’ da pernada de 15 horas desde Trujillo.

Cheguei lá sem planos e sem muita restrição de tempo, o que me fez aproveitar muito bem a cidade. Fiquei num hostel excelente (Chachapoyas Backpackers, logo menos vem o review) e o dono e todo o pessoal do staff me ajudaram demais com dicas de onde ir, comer, tomar um café, qualquer coisa 🙂

Um ‘problema’ de Chachapoyas é que é bem chatinho pra fazer os tours por conta, no fim, acabei apelando e fechando um pacote com uma agência (a Turismo Explorer, que fica na plaza de armas… Até achei mais baratas, mas realmente o serviço deles foi bem feito).

O que eu fiz por lá?

Sarcófagos Karajía e Cavernas de Quiocta ( 40 soles o tour + 10 de entradas ): um passeio durante todo o dia por essas duas atrações. Os sarcófagos são incríveis e é uma pena que só se possa ver de longe e uma pena maior ainda é que não está sendo feito nenhum estudo nem trabalho de conservação por lá… Uma caminhadinha de 20 minutos pra chegar à base de onde se pode observar os sarcófagos (mas vale lembrar que os 20 viram 45 minutos pra voltar… Subidas 🙁 )

Catarata Gocta (preço 25 + 10 entrada): ela pode ser a 5ª ou a 16ª (ou qualquer outro número entre isso) maior cachoeira do mundo. Mas números não importam, é bonita demais, independente da colocação. E vale as duas horas de caminhada pra chegar/se molhar lá!

Mausoléus Revash e museu Leimebamba (preço 60 + 15 de entrada no museu ): pra mim aí que começou a imersão na cultura chahapoya, um excelente ‘esquenta’ pra Kuelap. O mausoléu, assim como Karajia, fica num dificil acesso, na encosta de uma montanha, mas através de uma trilha (ligeiramente perigosa, num precipício, rs) você consegue chegar bem perto. A tarde foi no museu de Leimebamba, onde nada menos que 40 múmias chachapoyas estão expostas (e eu assustada com a Juanita, tsc tsc, tsc).


Use os nossos parceiros para viajar tranquilo e ajudar o OMMDA:

BookingReservando com esse link aqui da Booking, você não pagará nada a mais por isso e nos ajuda (e muito) a manter o blog!

Anonymous-aiga-first-aid-bg-300px A Real Seguros é um comparador de Seguros Viagens e com o nosso link você já ganha 15% de desconto em qualquer compra!


Kuelap (preço 30 + 15 de entrada ): a cereja do bolo. Uma das ruínas mais incríveis do Peru. No alto de uma montanha fica a fortaleza chachapoya, toda amuralhada (take a look no murinho) e com mais de 500 casas todas en formatos circulares. Com uma vista incrível! (Não falei pouco não, vai rolar um post mais completinho 😉 )

 

Cañon del Sonche: uma boa pedida pro dia de chegada ou partida. Você pode pegar uma kombi (sim, é assim que eles chamam mesmo) até o povoado de Huancas e de lá são uns 5 minutos a pé (3 soles o trecho de kombi). Se paga 2 soles de entrada e tem uma visão muito linda do lugar, um cañon com 1 km de profundidade e 11 de comprimento.

Cada um dos passeios toma um dia inteiro, menos esse último do Cânion, que pode ser feito em meio período ;).

About the author

Viciada em viajar, mas que sossegou - só um pouco - no Chile pra abrir um hostel. Já esteve em 9 países e 90 cidades fora do Brasil. Não sabe nadar (mas sabe andar de bicicleta). É facilmente comprável com doces e bom café. E é mão de vaca (isso é um dado importante).

3 Comments

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *