Blog posts

Dando a volta na Ilha de San Andrés – 11 dicas que você não vê por aí!

Dando a volta na Ilha de San Andrés – 11 dicas que você não vê por aí!

América Central, Colômbia, San Andrés

Antes de ir eu já tinha lido algumas coisas sobre a ilha, mas não muitas, confesso. A ideia dessa viagem era ser 100% ferias, no strings attached, então eu só reservei os hosteis e o voo para Providencia. E foi só isso. Nem pensei em programar nada, muito menos a famosa volta na Ilha de San Andrés.

Bom, se você tá por aqui é porque quer planejar um pouco mais né? Então vou te ajudar para não fazer algumas cagadinhas – como eu fiz!

O caminho todo é cheio de vistas lindas 🙂

1- Não dê muita volta em San Andrés procurando carrinhos de golf

Na primeira vez que aluguei (sim, foi mais de uma!) fui com umas meninas que conheci no El Viajero e, não lembro bem porque, decidimos dar uma andada no centro para procurar um carrinho para alugar.

Depois de andar por vários quarteirões, fomos abordadas por um do típicos vendedores de lá oferecendo céus, terra, mar e carrinhos de golf. Aí acabou indo com ele mesmo…

Já começou aí a cagada. O cara subiu no carrinho com a gente pra ensinar uma parte do caminho e… a POLÍCIA PAROU A GENTE!!!

Sério!

Maior papo com os policiais gatos por sinal e liberaram a gente. Mas não ficamos sem o susto e sem o cu na mão de fazer cagada de novo – e voltamos no hostel porque erramos:

2) Não esquecer a carteira de motorista no hostel!

É, San Andrés é tranquilo demais, mas melhor não dar chance pro azar… leve os documentos pra evitar dor de cabeça.

3) Pontos turísticos: se você parar em todos, não dá tempo de relaxar

No clássico mapinha da volta na ilha de San Andrés tem vários pontos para parar. Alguns Cays (se acostume que tudo é Quí por lá… tipo o Johnny) e outros “pontos de interesse” mais conhecidos como pega turista.

Mas vamos lá… Férias em San Andrés é pra relaxar na praia. Então segue o conselho da amiga: VAI DEVAGAR!


Use os nossos parceiros para viajar tranquilo e ajudar o OMMDA:

BookingReservando com esse link aqui da Booking, você não pagará nada a mais por isso e nos ajuda (e muito) a manter o blog!

Anonymous-aiga-first-aid-bg-300px A Real Seguros é um comparador de Seguros Viagens e com o nosso link você já ganha 10% de desconto em qualquer compra!


Na primeira vez que eu fui dar a volta na ilha, passamos reto em West View (que tava muvucado) e a primeira parada foi em La Piscinita. Lá dá pra entrar na água (funda pra cacete, principalmente pra mim, que não sei nadar!) e eles dão uns paezinhos na entrada, pra atrair os peixinhos! A água é super transparente e dá pra ver muito bem. Mas eu curti tudo do lado de fora, pra não dar chance pro azar de morrer afogada.

La Piscinita – toda a costa de San Andrés tem esses pontos cheio de peixinhos 🙂

A entrada custa COP 3000 e dá pra ficar quanto tempo quiser – tem uma estrutura de bar/restaurante simples por lá também.

Mas saímos de lá para seguir viagem e procurar um lugar legalzinho para almoçar. Aí…

4) Não confie nos carrinhos de golfe, eles podem te deixar na mão

Chegamos no carro e ele não ligava de jeito nenhum. Tentamos de tudo, mobilizamos mil pessoas e nada.

E é óbvio que ninguém tinha chip colombiano pra ligar pra agência, né? Tentamos conseguir um celular com o pessoal em La Piscinita e eles nem mexeram um dedo pra ajudar – ponto negativo na conta. Mas, no fim, um tiozinho emprestou um celular pra gente falar com a agência. Então:

5) Não se esqueça de ter um número de contato com os responsáveis pelo carrinho de golf

Eu gastei todo meu espanhol chileno com o cara da agência (e dá-lhe piti) e ele ficou de ir arrumar.

Demorou (eternidade na nossa fome), mas chegou. (E nessa a gente quase pegou um ônibus de volta a San Andres umas mil vezes.

O problema do carrinho? Uma correia que estourou – e que eu e a menina que tava comigo no vando detrás vimos caindo… Só que tínhamos CERTEZA que passamos em cima de um galho. Só que não.

6) Parada obrigatória na Playa San Luis, o spa particular

San Luis é uma praia ENOOOOORME  que tem uma mini barreira de coral (sei lá se geograficamente tô certa, mas é a minha melhor explicação 😉 ). Esses corais bloqueiam a água e forma uma piscina natural super rasa… Um relax caribenho!

E o melhor? Essa praia é tão grande que fica super vazia. Um momento para fugir da muvuca de motos, barulho e gente que é o centro de San Andrés e as praias mais próximas de lá.

San Luis – um dos pontos mais gostosos e sempre deixados de lado na volta na Ilha de San Andrés

7) Deu fome? Não gaste um rim em Rocky Cay

Nessa primeira volta na ilha de San Andrés eu parei lá. Na segunda também. E na terceira (sim, dei a volta 3 vezes!)… sem dúvidas!

Encontramos, na maior sorte do mundo, esse lugar… Começou a chover, começou a dar fome… Paramos o carrinho de golf no primeiro restaurante que achamos e encontramos o Miss Janice!

É um restaurante simples e tem o básico da comida isleña – peixe, arroz de coco, patacones, frutapan… Bom e barato! Bom, é barato comparado com as opções de restaurantes de praia em San Andrés, no centro dá pra achar opções mais em conta – mas estávamos bem longe do centro, né?

Um prato custava entre 20 e 30 reais e era bem servido, com muito, mas muito peixe!

8) A dica de ouro para os amantes de cerveja…

Na praia, as cervejas ~mais ou menos~ geladas saem entre 5 a 7 reais. Mas no supermercado dá pra encontrar de menos de 2 reais em diante!

O combo caixa de isopor + gelo + breja foi SUCESSO na volta na ilha de San Andrés e rendeu MUITA economia no quesito álcool. Além do que, se tiver um pouquinho de paciência, vai ficar mil vezes mais gelada do que as da praia!

Dá-lhe Club Colombia gelada nesse paraíso!

9) Tem muitas coisas além dos pontos clássicos

E falando no clássico… Achei o tal do Hoyo Soplador a coisa mais pega turista do universo! É um buraco nas rochas que, com as ondas, faz um vento pra cima – e o showzinho é fazer cabelo, boné e chapéu voar. E é só isso.

Então pule essas atrações e dê uma chance aos outros lugares! (Já falei de San Luis, uma lindeza que muita gente pula, mas é uma delícia de lugar!).

San Luis de novo pra convencer você!

Outro ponto clássico, West View… sempre tá super cheio! As chivas sempre param por lá, é cheio para parar o carrinho, tem fila pro trampolim e pro toboágua, cobram entrada… Sempre cheião e caótico!

Mas…

Se você andar alguns metros mais pra frente vai encontrar bares com a mesma – ou quase a mesma – estrutura e que não cobram entrada! É só consumir alguma coisa e tá pago – lá vai outra cerveja pra conta!

E o melhor: mais tranquilo, menos gente e mais peixinhos pra ver! 🙂

10) Não se esqueça: levar snorkel e sapatilha de borracha

Se não tiver, não se preocupa em comprar antes da viagem não! Lá no centro de San Andres acha snorkel a partir de 15 reais (plástico) e 30 (vidro) e a sapatilha custa 10 reais!

O snorkel você vai usar me La Piscinita e West View – que dá pra ver vários peixinhos (além do Acuário, que contei nesse post aqui!). A sapatilha você usa em Rocky Cay… que nas três vezes que dei a volta na ilha de San Andres, não deu tempo de parar lá (rs), mas leia aqui nesse post da guria mais detalhes sobre essa praia!

11) A dica final do roteiro:

Aceite a lerdeza que essas férias merecem e dê a volta na ilha de San Andrés com calma 🙂 Comece por La Piscinita ou West View (ou por esse bar opção B que eu já contei pra vocês 😉 ) e fique por lá pela manhã – das 10 às 12.

Siga para San Luis e aproveite aquela tranquilidade.

Na fome, encontre o Miss Janice, a nossa dica de restaurante barateza pelo caminho!

E se sobrar tempo, Rocky Cay. E se não, deixa pro dia seguinte. Mas não faz igual eu que fui deixando, deixando, deixando… e ficou para uma próxima!

Aprecie o caminho!

Quanto custa a volta na Ilha de San Andrés em carrinho de golf?

Pra alugar o carrinho, custa entre 90000 e 120000 – para 4 pessoas. Mas também tem a opção de carrinhos para 6 pessoas – +- 120000 e para 8, a 160 mil COP. A cotação (em agosto/17) estava mais ou menos em 100 COP = 1 real, pra facilitar as contas de cabeça 😉 .

E tem carrinho pra todo gosto… até esse nosso busão para 8 pessoas 🙂

Curtiu? Deixa aquele comentário esperto para deixar a blogueira feliz! (E use os nossos links da Booking e da Real Seguros para pagar as nossas contas 🙂 ).

Mais posts de San Andrés:

About the author

Viciada em viajar, mas que sossegou - só um pouco - no Chile pra abrir um hostel. Já esteve em 9 países e 90 cidades fora do Brasil. Não sabe nadar (mas sabe andar de bicicleta). É facilmente comprável com doces e bom café. E é mão de vaca (isso é um dado importante).

22 Comments

  1. Aline Rodrigues
    8 de novembro de 2017 at 17:15
    Reply

    Eu queria dizer que, se um caga e não conta, todo mundo caga atrás. Por isso, obrigada! Inclusive não fodi meu joelho em Arequipa por causa do seu joelho fodido HAHAHAHAHAHAHAAHA

    • Camila Lisboa
      8 de novembro de 2017 at 18:11

      hahahahah é! a gente se fode e volta pra contar 😉 Mas nem me fodi tanto, viu… no final, foi tudo história pra conta!

  2. Carla Mota
    9 de novembro de 2017 at 13:07
    Reply

    Tanta dica boa! Que maravilha. Adorei as propostas e até tive vontade de dar um mergulhinho! 😀

    • Camila Lisboa
      12 de novembro de 2017 at 14:44

      Impossivel nao se jogar nessa agua, viu!

  3. Angela Castanhel
    9 de novembro de 2017 at 15:53
    Reply

    San Andres é meu sonho de consumo. É tão pertinho e está bem acessível né? Preciso me programar. Ja vou salvar esse post para me ajudar no roteiro. Vaaleu

    • Camila Lisboa
      12 de novembro de 2017 at 14:37

      Obrigada 🙂 e vai mesmo, é baratinho! 🙂

  4. Keul Fortes
    9 de novembro de 2017 at 17:25
    Reply

    Excelentes dicas! Principalmente se você parar em todos não dá para aproveitar. hahaha! Ficou tão bom que favoritei. Quando for a San Andres já tenho em mente tudo que preciso! Obrigada. =)

  5. Aninha Lima
    10 de novembro de 2017 at 13:26
    Reply

    Também achei esse tal de :olho soprador” bem pega-turista e não parei. achei a cor do mar de La Piscinita extremamente incrível e parei westview e nessa praia de San Luis também! Ai que saudade que fiquei de San Andrés

    • Camila Lisboa
      12 de novembro de 2017 at 14:37

      Essa parte da ilha onde fica La Piscinita e West View é absurda né… a visibilidade é gigante e tem tantos peixinhos 🙂

  6. Amilton Fortes
    10 de novembro de 2017 at 14:40
    Reply

    Bacana o seu post e a pegada no strings attached, hahahaha. Fiz a volta a ilha e acho mesmo que essa coisa de ter que parar em todos os lugares não é assim tão necessária. Ao meu ver las piscinitas e west view são iguais e aquele olho soprador é o maior pega turista. Abs

    • Camila Lisboa
      12 de novembro de 2017 at 14:36

      pega turista demaaaaaaaaaaais… parei uma vez e tipo… por que as pessoas param aqui???!?!

  7. Sy
    10 de novembro de 2017 at 15:19
    Reply

    Essa passeio é imperdível mesmo, o melhor para descobrir a ilha toda. Quando fiz erramos um caminho e fomos parar bem longe das praias, mas ainda bem que a ilha é pequena e tranquila rrsss

    • Camila Lisboa
      12 de novembro de 2017 at 14:35

      hahaha como vocês conseguiram? é tudo tão bem sinalizado por lá, rs…

  8. Gisele
    10 de novembro de 2017 at 15:29
    Reply

    Ah, adoro dicas pra quem não sabe nadar! <3

    E também sou do tipo que prefere não ver tudo e curtir com mais tranquilidade. Afinal, são férias, né?

    Beijo!

    • Camila Lisboa
      12 de novembro de 2017 at 14:35

      É nois do time da vergonha de quem não sabe nadar! rs…

  9. Juliana Moreti
    11 de novembro de 2017 at 11:27
    Reply

    hahahahaha
    Gostei da ideia de cagar e contar para todos nao cagarem tbem
    hahahahaha
    (rindo ainda disso)

    Eu tenho mania de não planejar muito tudo. Na hora eu me arrependo, mas gosto de uma viagem mais leve e solta
    E pode deixar… Se eu for para là, San Luis certamente estarà na minha lista (e pagarei mico levando boias de braço para La Piscinita – hahahahaha. Tbem nao sei nadar)

    • Camila Lisboa
      12 de novembro de 2017 at 14:34

      Eu pulei do trampolim do West Viem com colete salva vidas hahaha

  10. Pedro Henriques
    11 de novembro de 2017 at 19:04
    Reply

    Artigo com dicas muito uteis para visitar a ilha de San Andres! Adorei as fotos, dá mesmo vontade de viajar até lá e mergulhar nas aguas cristalinas. Parabéns pelo post!

  11. Karilayn Areias
    16 de novembro de 2017 at 13:58
    Reply

    Também não consigo entrar na água em alguns lugares por não saber nadar! 🙁

    • Camila Lisboa
      16 de novembro de 2017 at 15:52

      Clubinho dos que não sabem nadar só aumenta por aqui hahaha

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *