Blog posts

Cusco: Desvendando o Boleto Turístico

Cusco: Desvendando o Boleto Turístico

Cusco, Peru, Valle Sagrado

Comprar o Boleto Turístico em Cusco é quase uma obrigação, ele te faz economizar bastante dinheiro pra entrar em várias ruínas que são praticamente obrigação na visita a cidade. o problema é que muita gente só vai nas ruínas e deixa de lado várias outras atrações interessantes que estão incluídas.

Então vai um resuminho do que é cada um dos pontos que você pode visitar com seu boleto turístico:

  • Pisac: as ruínas de Pisac estão entre as maiores de Cuzco. Foram utilizadas com múltiplas finalidades, desde área de cultivo e plantio até templo cerimonial, com os templos do sol e da luna, passando pelo impressionante cemitério. Fica na região conhecida como Valle Sagrado, uns 40 minutos de Cuzco.
  • Ollantaytambo: também localizadas no Valle Sagrado, mas dessa vez um pouco mais distantes, 2 horas de Cusco, essas ruínas são pura história: ali os incas tiveram uma das poucas vitórias de grandes proporções sobre os espanhóis. Áreas de templos e grandes paredões são a marca registrada desse lugar.

Pisac e Ollantaytambo estão nesse post aqui, bem detalhadinho, de como conhecer o Valle Sagrado sem agência 😉

  • Pikillacta: ruínas pré inca – wari. Tem paredões que lembram (de looooonge) a muralha da China, pela proporção e imponência. Não está no circuito mais comum dos turistas então é excelente para lindas fotos. Pode-se ir de tour (juntamente com Tipón) ou por conta, onde o ônibus te deixa na estrada, bem na porta das ruínas. Tem um estilo diferente, não são utilizadas pedras polidas, as construções são mais rústicas e cobertas de barro. Faz parte do circuito Valle Sur.
  • Tipón: ruínas de uma área agrícola dos incas. Tem locais onde se guardavam os grãos, áreas residenciais, banhos. Tem uma vista incrível e também faz parte do circuito Valle Sur.

Veja mais detalhes do Valle Sur aqui.

  • Tambomachay: os banhos incas. Área que tem fontes e era o local de banhos para a nobreza. Fica no circuito do City Tour.
  • Qenqo: labirinto é a cara e a tradução dessas ruínas. Usado para rituais e também faz parte do circuito do City Tour.
  • Pukapukara: de fortaleza a hospedagem para viajantes, são grandes as possibilidades que são estudadas para essa construção. Tem uma vista maravilhosa e, dependendo da incidência do sol pode ser ver uma cor avermelhada nas construções. Também faz parte do circuito do City Tour.

Quer visitar essas ruínas? Saiba mais do City Tour aqui.

  • Saqsahuaman: a mais próxima de Cuzco também é uma das mais imponentes e importantes, a cabeça da puma é um maravilha da arquitetura inca. Pedras polidas de toneladas e toneladas são colocadas com perfeição para a comstrução desse templo, que até hoje é utilizado nas celebrações do Inti Raimi. Também faz parte do circuito do City Tour.
  • Centro Qosqo de Arte Nativo: todos os dias as 18:30 abrem-se os portões para essa atração. Chegue cedo, o teatro é pequeno. É um show de dança típica, não é exatamente profissional, tem uma carinha de caseiro, mas não deixa de ser divertido se você gosta desse tipo de atração. Começa às 19 e tem uma hora de duração.

Use os nossos parceiros para viajar tranquilo e ajudar o OMMDA:

BookingReservando com esse link aqui da Booking, você não pagará nada a mais por isso e nos ajuda (e muito) a manter o blog!

Anonymous-aiga-first-aid-bg-300px A Real Seguros é um comparador de Seguros Viagens e com o nosso link você já ganha 10% de desconto em qualquer compra!


  • Museu Qorikancha: não confunda, esse é um museu que se entra pela Av El Sol e é bem pequeno, coisa de uns 20 minutos você vê todas as peças e o fim é no gramadão em frente ao Qorikancha (que você terá que pagar mais 15 soles). Tem peças incas de metal e cerâmica.
  • Museu Histórico Regional: é o mais completo, conta desde as civilizações pré inca até a colonização espanhola, com muitas peças e explicações claras por todo o museu. Fora o fato de estar localizado na casa de Garcilaso de la Veiga, o que já rende muito de história de Cusco. Se gosta desse tipo de museu, esse merece um bom tempo, reserve uma hora e meia para conseguir ver tudo.
  • Museu de Arte Popular: tem as peças vencedoras do concurso anual de artesanato de Cusco, que ocorre todos os anos em dezembro. É um museu pequeno, duas salas apenas. Aproveite o momento que você vai comprar o próprio boleto turístico para visitá-lo, fica no mesmo prédio, na Avenida El Sol.
  • Museu de Arte Contemporânea – é o único que não fica aberto de domingo. Fica em frenre da praza Regocijo e tem peças de artistas locais, a maioria a venda. Tem fotos muito bonitas também. Em uns 50 minutos se visita tudo, mas é itinerante então não posso garantir o que vai estar, rs.
  • Moray: local de experiências agrícolas dos incas. Os anéis desnivelados permitiam temperaturas diferentes para a mescla de diferentes grãos, criando e melhorando as culturas. Era um campo de experimentação e plantio agrícola. Faz parte do circuito Maras y Moray, sendo que o primeiro não está incluído no Boleto (e custa 7 soles a entrada).

Maras e Moray estão nesse post aqui, com mais detalhes de como foi o passeio.

  • Monumento Pachacuteq: No fim da Avenida El Sol fica esse monumento imponente. Já seria bacana só por isso mas você pode subir até o topo e tirar fotos lindas de Cusco, observando tudo de cima. Nos andares tem algumas curiosidades sobre a cultura inca.
  • Chinchero: esse foi o único que não fui, passei pelo povoado quando fui para Moray mas parei apenas em um local onde se falava da produção de vestuário e tecelagem. Mas não fui na atração do boleto. Alguém aí s habilita em escrever um parágrafo de lá 🙂

Observação importante: não se prenda aos circuitos ou tours, já contei pra vocês do City Tour por conta e nesse link aqui tem mais posts da experiência completa em Cusco. Só coloquei essa referência pra ajudar quem quer fazer com empresa e também pra facilitar no planejamento 🙂

Onde comprar o Boleto Turístico?

Fica bem pertinho da Plaza de Armas, na Avenida El Sol, 103.

Quanto custa o Boleto Turístico?

São 130 soles para o público geral, mas para estudantes com menos de 25 anos e com a carteirinha da ISIC sai por 70 soles.

About the author

Viciada em viajar, mas que sossegou - só um pouco - no Chile pra abrir um hostel. Já esteve em 9 países e 90 cidades fora do Brasil. Não sabe nadar (mas sabe andar de bicicleta). É facilmente comprável com doces e bom café. E é mão de vaca (isso é um dado importante).

5 Comments

  1. Fayson Merege
    24 de outubro de 2016 at 15:06
    Reply

    Oi Camila.
    Me responde uma coisa sobre o boleto. É obrigatório comprar para visitar os lugares?
    Estarei indo pra Cusco, mas quero fazer todos os rolês possíveis com transporte público e com caminhadas. No caso, iria para o Valle Sagrado (Pisca, Ollanta, Maras e Moray).

    • Camila Lisboa
      25 de outubro de 2016 at 12:03

      Oi Fayson! Dá pra fazer tudo de transporte público sim (tem um post falando certinho de como fazer o Valle Sagrado e outro das ruínas do City Tour 😉 )mas o Boleto Turístico é a entrada das ruínas, então você precisará comprá-lo sim, independente se chega em bus, tour, taxi, andando…

  2. Paulo Victor Vieira da Silva
    10 de Maio de 2017 at 20:56
    Reply

    Tem como eu ir de Ollantaytambo para Aguas Callientes em Machu Pichu!?

    • Camila Lisboa
      11 de Maio de 2017 at 17:58

      De trem é fácil!

      Agora pra ir de onibus não tem conexão… aí vc tem que tentar pegar uma van de Ollanta ate Santa Teresa e andar pelos trilhos do trem (que é conhecido pela trilha da hidreletrica). Mas quando eu fui, essa van nao passou e acabei tendo que ir de trem ´=/

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *