Blog posts

Arequipa: museu Juanita e Monastério de Santa Catalina

Arequipa: museu Juanita e Monastério de Santa Catalina

Arequipa, Peru

Meus dias em Arequipa foram totalmente em slowmotion (e engordativos, graças a uma loja que continha os malditos/gostosos fast food americanos: kfc, burgerking, pizza hut e starbucks. Todos eles baratérrimos e duas quadras do hostel). 

Muita preguiça e muita caloria depois, resolvi tirar as perninhas da preguiça e turistar um pouco, já que o Cañon del Colca traumático não é a única graça da cidade. 

Trauma? Que trauma? Leia mais do trauma no Colca aqui.

Os dois museus são interessantes, mas não considero imperdíveis. Vá se você se interessa por arquitetura (no caso do monastério) e por história e arqueologia, no caso da Juanita. 

Vamos lá?

O monastério é uma construção do século XVI, que ocupa uma quadra gigantesca uns 3 quarteirões da Plaza de Armas. A salgada entrada de 35 soles não inclui guia, mas tem vários a disposição na entrada, com o serviço por gorjeta. Bom, depois de 35 soles e a pobreza que me ronda, alguma dúvida que fui sem guia? Rs. Juntamente com o ticket de ingresso há um mapa que pode te ajudar com os caminhos, que no geral são bem indicados, e as salas tem placas explicativas em inglês e espanhol.

Muitas freiras viveram por lá (sob voto de silêncio) e pode se perceber detalhes da arquitetura e cotidiano pelo passar dos anos. As áreas individuais, com os quartos, cozinha (com fornos a lenha que dariam uma inveja danada na minha vó!) e banheiros com tamanho e decoração de acordo com a situação financeira da família da freirinha. 


Use os nossos parceiros para viajar tranquilo e ajudar o OMMDA:

BookingReservando com esse link aqui da Booking, você não pagará nada a mais por isso e nos ajuda (e muito) a manter o blog!

Anonymous-aiga-first-aid-bg-300px A Real Seguros é um comparador de Seguros Viagens e com o nosso link você já ganha 15% de desconto em qualquer compra!


Entre as áreas comuns vemos um bosque, uma área onde se lavava roupa e até um cemitério. Algumas áreas ainda são usadas até hoje, já que ainda tem irmãs vivendo por lá (mas bem menos… ).

A área mais buscada é a cela da Irmã Ana, que reza a lenda que dizem que realizava milagres. 

No geral, a caminhada pode ser de uma a duas horas, dependendo do seu pique em ler todas as infos, a quantidade de fotos que vai tomar e até se você parar para tomar um cafezinho lá dentro (dizem que é bom, mas não conferi).

A Juanita foi minha segunda meta por Arequipa. A tal da menina congelada. 20 soles a entrada, mas a visita é obrigatoriamente guiada e você é induzido a pagar uma propina ao guia. Nessa foram mais uns soles…

Tá, depois de ver os niños em Salta, no MAAM, já tava mais ou menos sabendo o que me esperava. Mas é medonho mesmo assim! 

Em 92 uma expedição ao Ampato encontrou restos de cerâmica e madeira, indicando que talvez haveriam mais coisas por lá. Uma outra expedição foi organizada para 95 e aí encontraram a tal da mumiazinha, mas não no local originalmente enterrado, um pouco abaixo na montanha, por conta de um deslizamento de gelo. 

O museu conta toda a história do encontro da múmia e outros itens, inicialmente por um filme feito durante a expedição e depois embasando a descoberta com os outros itens encontrados junto com o sacrifício. Tudo num estado incrível de conservação. Inclusiva a Juanita, que tem dentes, olhos e até cabelo (graças ao congelamento por anos no nevado).

Um detalhe, se você for no comeco do ano não verá a Juanita, mas outra múmia que foi encontrada em condições semelhantes, porque as múmias tem um período de ‘manutenção’ para a conservação dos corpitchos, rs. 

Não tem fotos de lá, eles não liberam nem sem o uso de flash. 🙁 

Obs: Cabanaconde é a cidade onde o Ampato fica e luta para que a Juanita volte ‘a sua terra’, até construíram um museu no meio do nada pra recebê-la, mas quem disse que a Universidade de Arequipa libera?

E, pra completar, vale muito a visita a Plaza de Armas de Arequipa, uma das mais bonitas do Peru. A iglesia de Santo Domingo é imponente e linda, tanto por dentro quanto por fora. Vale muito perder umas horinhas por lá, apreciando a vida devagar do povo e curtindo o clima arequipenho.

Gastos:

35 soles entrada monastério Santa Catalina

20 soles entrada museu Santuários Andinos

10 soles de propina para o guia no museu (tava sem trocado, me ferrei, rs)

Endereços:

Museu Santurários Andinos: Santa Catalina 110, Arequipa, Peru

Monastério Santa Catalina: Santa Catalina 301, Arequipa, Peru

Eles ficam bem perto da Plaza de Armas, só pedir a informação por lá!

About the author

Viciada em viajar, mas que sossegou - só um pouco - no Chile pra abrir um hostel. Já esteve em 9 países e 90 cidades fora do Brasil. Não sabe nadar (mas sabe andar de bicicleta). É facilmente comprável com doces e bom café. E é mão de vaca (isso é um dado importante).

1 Comment

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *